sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Dossiê Superboy (Parte 1)




Estamos em 1992, ano do impeachment contra o presidente Collor, ano do aniversário de 500 anos da descoberta da América por Cristóvão Colombo, mas acima de tudo, a morte de um ícone.

É nesse ano em que Superman morreu em sua luta incessante contra o Apocalipse e é daí o ponto de partida para a criação de um personagem que veio para ficar.

Em 1993, após um belíssimo funeral para um amigo, começam a aparecer pessoas que diziam ser o Próprio Homem de Aço e entre eles uma versão adolescente do mesmo.



Sua primeira aparição se deu na Adventures of Superman # 500 quando foi libertado do Projeto Cadmus pela Legião Jovem. Os meninos lhe deram uma jaqueta de couro com o símbolo do Superman nas costas. Superboy era um clone parcialmente criado a partir do DNA do Superman, projetado para substituí-lo, mas que conseguiu fugir do Laboratório antes de atingir a maturidade. Ele era um garoto arrogante e prepotente que começou a combater o crime assim como seu antecessor, mas com uma grande diferença. O Cadmus não conseguiu recriar os poderes do kryptoniano e para emular alguns desses poderes lhe concederam a telecinésia tátil.

Em suas aventuras, como o Superman (pois era assim que ele gostava de ser chamado, mesmo que ninguém o chamasse assim), ele conheceu a Supergirl daquela época, também conhecida como Matrix, que trabalhava para Lex Luthor. Como era de se esperar, Superboy ficou gamado na moça e até trabalharam juntos algumas vezes.

Algum tempo depois, o verdadeiro Superman retorna e entra em uma batalha contra o Cyborg que se passava por ele. Superboy o ajuda nessa luta, pois Clark ainda não estava com seus poderes recuperados. Após a batalha, o Clone resolve renunciar o símbolo e o nome, que ele usava até então. Ele decide deixar Metrópolis, depois de finalmente aceitar o nome Superboy, para viajar pelo mundo e estabelecer sua nova identidade.

De volta ao Cadmus, Superboy descobre a sua origem e de seus poderes e também é apadrinhado por Dubbilex, quando a organização decide parar de persegui-lo e resolver usar a sua fama para ganhar alguma publicidade. Após algumas semanas de viagem, Superboy segue para o Havaí.

3 comentários:

Mauro Junior disse...

Cara,tirei minhas duvidas do Superboy com esse dossiê...
Muito boa a matéria!

19 de fevereiro de 2010 15:30
Athlon disse...

bem explicado..vlw

19 de fevereiro de 2010 16:48
JC Lopes DJ disse...

Cara show de bola... Parabéns.

The Master of The Universal Simphony.

19 de fevereiro de 2010 22:32

Postar um comentário