segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

O que J. Michael Straczynski anda falando sobre Superman: Earth One


Faz um tempo que foi anunciado a série de Grafic Novels chamada “Earth One”. Por hora, apenas o Superman e o Batman ganharão essas historias.

Os roteiros de Superman: Earth One ficarão nas mãos de J. Michael Straczynski. Mas, desde o anúncio da série, eu não tenho visto muita movimentação em relação ao material. Mas, faz um certo tempo, saiu no “ain’t it cool news” uma entrevista com Straczynski.

Quando perguntado sobre qual seria a premissa por trás de Superman: Earth One, Straczynski respondeu, mais ou menos, o seguinte:


Existe uma noção, que se tornou um tipo de clichê, é que, assim que você ganha os poderes, você já coloca uma fantasia de super-herói (ou super-vilão) e sai pelas ruas. Mas logicamente, tem que haver um momento onde você decide fazer isso, ou se deve fazer isso. Um momento onde você tem que pensar em tudo que vai acontecer à você se você decidir se expor dessa forma.

Clark vai para Metropolis no seu 21º primeiro aniversario para decidir o que quer fazer. E ele é alguém que pode ser qualquer um, e fazer qualquer coisa. Se ele ficar na dele, como fez até o momento, ele poderia ser o melhor atleta que o mundo já conheceu, ele poderia ser o próximo Stephen Hawking, poderia chutar a coroa de golfe de Tiger Woods, poderia criar patentes que renderiam bilhões.

Por outro lado, se ele escolher ser o Superman, então Clark deverá viver eternamente nas sombras, dedicando uma vida de serviço e auto-sacrifício que poderiam, eventualmente, o matar. Essa é uma pergunta difícil para qualquer um responder, imagine um garoto de 21 anos que ainda está animado com a ideia de dinheiro, sucesso e fama. Então, essa historia é sobre o momento decisivo de Clark, quando ele finalmente vai fazer essa escolhe, porque ele vai fazer, e quais serão as conseqüências.

Nesse meio tempo, teremos flashes de sua infância em Smallville, veremos como os Kents o ajudaram a molda-lo e protege-lo até o momento da vida que ele deve fazer a mais difícil das decisões.


Quando questionado sobre como ele vai fazer para que essa historia da juventude do Superman seja diferente, ele respondeu:

Essa, provavelmente, é uma das mais contadas e re-contadas historias da historia dos quadrinhos, então você precisa ter muito cuidado para saber o que manter enquanto descobre áreas novas para explorar. Mas eu vou ser honesto com você: Eu não estou aqui para mudar a historia em algo novo, na intenção de “deixar minha marca” no personagem. É uma questão de respeitar o personagem e sua origem. Especialmente para mim, visto que o Superman sempre foi meu ícone numero um desde que era criança. Vindo de vizinhança humilde você sempre escuta as pessoas dizendo “esqueça essa ideia de ser escritor, caras como você vieram do nada e vão terminar no nada”. Era no Superman que eu me espelhava, a ideia de que as pessoas podem fazer qualquer coisa. Minha casa está cheia de coisas sobre o Superman, é quase um museu. É, provavelmente a maior coleção do Superman da Costa Oeste, não porque eu era um colecionador fanático, mas por causa do que o personagem significava para mim durante os anos.

Voltando à sua pergunta, o que eu estou tentando fazer é olhar no personagem com um olhar mais moderno. Se você fosse criar a historia do superman hoje, pela primeira vez, mas mantivesse intacto tudo que já foi feito, como gostaria? Quando era um escritor novato, eu costumava ver produções de Shakespeare porque você poderia pegar a peça original e encaixa-la em qualquer momento do tempo. Então você criaria coisas como “Two Gentlemen of Verona”, ambientada na Itália antes da 2º Guerra mundial... Poderia criar um Hamlet mulher. [...]

É claro que o que estamos fazendo mais do que isso, mas a ideia é bem parecida. Então, no caso do Superman, você pega todos esses elementos que funcionam e adiciona a eles uma sensibilidade moderna, sobre como eles poderiam ser escritos hoje em dia, nesse momento, como se eu os tivesse acabado de criar.


Ele ainda diz que o principal elemento que vai cortar é o Superboy. Segundo ele, a primeira vez que o Clark vai colocar seu uniforme vai ser, de fato, a primeira vez. Diz ainda que o personagem que mais vai mudar será, provavelmente, Jimmy Olsen. E o ambiente que mais sofrerá modificações será o Planeta Diário.

Eu trabalhei como jornalista por, aproximadamente, dez anos, eu sei como um jornal deve parecer, minha maior reclamação sobre os quadrinhos ambientados nesses meios é que você nunca poderia dizer se os escritores já trabalharam em um jornal.

Em qualquer jornal, o cara mais perigoso para se trabalhar é o fotografo, porque ele vai a qualquer lugar e faz qualquer coisa para conseguir uma foto. Eu já vi cenas onde o fotografo fica como se estivesse em uma corrida pelas ruas da cidade. Ele fica tirando fotos pra lá e pra cá. Ele nunca para de tirar fotos. Um bom fotografo fica tirando fotos não importa o perigo, e é esse aspecto que eu vou trazer ao Olsen.
O resto da equipe parecerá e agira como os repórteres de hoje, e isso vai ser muito divertido. E, quando começarmos nossa historia, o Planeta Diário estará descendo uma ribanceira… Será onde os novos repórteres vêm para aprender e os velhos vão para morrer.



Bom...
Devo dizer que fiquei meio desanimado. Não sei bem o motivo. Quero dizer, é claro que se é pra começar um novo universo eles precisam contar a origem de tudo. Mas está com cara de “mais do mesmo”. Espero estar enganado.
Me animou o fato do Straczynski ter dito com todas as letras que é fã do personagem, isso dá à ele uma certa credibilidade (ao menos é assim que eu penso, afinal, ninguém vai querer fazer algo “meia-boca” com um personagem que gosta).

Pode parecer estranho, mas eu acabei traçando um paralelo entre essa Earth One com o Superman 3.0 (o filme). Minha preocupação é que tem grandes chances do filme ser algo bem aos moldes desse projeto Earth One, ou seja, uma abordagem mais moderna do personagem. E, se nas HQ’s eles não conseguirem sair do tradicional, no filme eles vão ter mais dificuldades.

Em fim, eu continuo aguardando essa HQ ansiosamente, afinal, eu curto o trabalho do Straczynski. Mas, verdade seja dita, ta com cara de ser só mais uma “nova” historia contando a origem do Superman. E dessas, só eu tenho três diferentes. Espero estar errado.

3 comentários:

Athlon disse...

vamos ver o que vai dar, e espero que Batman: Earth One tb seja um fã que faça...

16 de fevereiro de 2010 14:10
Drako disse...

Dependendo de como for, essa história pode ser a base de um novo filme para o Superman. Agora, falta saber se vai ser uma boa história.

17 de fevereiro de 2010 01:13
Dark Kent disse...

E eu nem terminei de ler Superman Origens n#4 e eles mandam uma dessa !!! Tomara que eles não coloquem a Legião no meio dessa origem :-D

23 de fevereiro de 2010 17:57

Postar um comentário